sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Percurso

Longe de ser amor,
era aquela vontade de beber um suco e deitar-se deitada nas cadeiras da praça.

Longe de ser vontade,
era a querência de jogar-se lançada contra o discurso surdo e tagarela.

Longe de ser cerveja,
era a coca-cola derramada corrente pelas frestas da calçada.

Longe der ser vivência,
era o suspiro de um lirismo inspirado.

Longe de ser certeza,
era ainda quem sabe.

Longe de
ser
.

2 comentários:

! Marcelo Cândido ! disse...

Mas será que foi?

rs
!!!

L.A disse...

Adorei seu poema...

longe de ser^^

bjus

Histórico


as primeiras ideias...