de Retalhos

Quando decidi parar de escrever em cadernos e mostrar para o mundo as linhas que eu tecia devagarzinho no meio de todos os meus desejos e vontades anuladas talvez pelo medo que sempre me foi tão peculiar... pensei que, talvez, fosse uma boa ideia criar uma plataforma virtual. Era simples, prático, gratuito e eu poderia escrever qualquer coisa, sem medo de ser julgada-condenada-culpada-pela situação, mesmo porque, poderia não assinar.

Então fiz.

Comecei com blogues, que, na época, não tinham esse nome, então passei aos fotologs, conheci muita gente bacana que estava nesse mesmo universo que eu. Criava páginas e páginas e cansava de todas elas.

Foi, quando, em 2006, tive a ideia de criar um blogue que levasse meu nome no endereço, assim, caso cansasse mais uma vez, simples: recomeçaria sem precisar criar outro endereço. Fi-lo.

Criei o "bekxavier" que levou muitos títulos, muitos bastante pernósticos, até que eu encontrasse uma unidade dentro de mim. Unidade essa que nunca foi tão unitária assim, verdade, mas que, na sua bagunça, certamente me pertencia. Percebendo isso, foi que percebi que um título mais simples viria mais a calhar e foi quando, numa data muito próxima da publicação d'O sorriso da moça, não lembro ao certo se antes ou depois, notei que, no final das contas, eu não passava de uma mistura de milhares de estampas.

E surgiu o "de Retalhos".

Com o tempo, muitos textos foram se acumulando ali. E, apesar de cada um apresentar uma identidade própria, pareciam estar unidos todos por uma única linha enovelada: o cheiro do café, a presença canina, a fidelidade, o desejo, o medo, a latência; acima de tudo: o grito surdo do ato nunca consumado.

Foi quando percebi ter formado uma obra. Que, em meu computador, já estava, inclusive, organizada. E, com um empurrão grande de um querido professor dei a face ao beijo ou ao cuspe e publiquei alguns textos.

O título não teria como ser outro.

Então, com a ajuda um pouco marota do Nathan Matos, um dos joalheiros da Revista Pechisbeque, aqui está um pouco do de Retalhos para que vocês possam conhecer.

    


Para quem se interessar em adquiri-lo (espero que todos!), é facinho, é só dar um pulinho na Livraria Saraiva ou nesses sites:



Boa leitura!!


Rebeca Xavier


P.S.: Agradecimentos especiais ao Nathan (co-editor da Revista Pechisbeque e editor do blogue literário LiteraturaBr), que conseguiu transformar meu singelo arquivo pdf nesse e-book!

3 comentários:

César Augusto disse...

Boa iniciativa. Instiga a querer ler a totalidade da obra. Ainda bem que já comprei o meu.

Fernando de Souza disse...

Enquanto você escrever (e calar), serei seu leitor (de palavras e silêncios).
Parabéns, xuxu.

a. disse...

Ficou lindo, Bek! Fico feliz de ver que você está procurando seu caminho através da paixão pela escrita. Foi sempre algo grande, forte e verdadeiro dentro de você. Espero que ainda possamos ver muitos retalhos por aí :)

Histórico


as primeiras ideias...