domingo, 3 de fevereiro de 2008

Atalho

Pega a caneta, ou o lápis, ou o pincel, ou o carvão. Escreve em ti, nas pernas é melhor, tudo o que tu fostes, tudo o que tu és, tudo o que tu gostarias de ser. Escreve em ordem temporal, ou de importância, a critério.

Molha as mãos no álcool e as passa pelo recém escrito. Agora tens nas coxas tua vida inteira. Quando morreres, não precisarás ver o tal filme. Levas nas coxas quem tu és e quem tu sonhas ser, agora, numa coisa só.

Um Tu apenas. Sem difusões, sem sonhos inalcançados. Já alcançaste tua meta. És agora ser realizado.

Um comentário:

Caio Marinho disse...

Levar-se entre os rins.

Histórico


as primeiras ideias...