terça-feira, 3 de julho de 2012



Ainda que isso te fira,

                         Serei grito

Ainda que isso te mate,

                         Serei gozo

que, contido, me negaste

e, ferido, escondestes nos teus sonhos perfeitos de amor.

Ainda que isso te enerve,

                         Serei asa

Ainda que isso te adoeça,

                         Serei aroma

de café, de madeira, de terra, de mar.

E, digo, ainda, que, ainda ainda que para sempre deixes tua existência,

                         Serei existente

                                   latente

                                   independente

Ainda que isso te cale,

                         Serei desejo

...

Ainda que isso te irrite,

                         Serei vento

As palpitações me pertencem,

                         ainda que isso te anule.

Um comentário:

Nathan Matos disse...

Eu gostei :D

Histórico


as primeiras ideias...