sexta-feira, 18 de agosto de 2006

A menina

Seu pai havia lhe contado a história da madeira e dos pregos. Aquela em que os pregos, depois de retirados, haviam deixado buracos permanentes na madeira. A menina ficou horas refletindo a respeito, da maneira que meninas refletem: sem refletir, apenas lembrando. Olhava a madeira da porta do seu quarto e pensava se ela possuiria marcas permanentes. Olhava para si mesma e via uma madeira, perfurada. Marcas permanentes. Buracos tão profundos quanto a sua doce criatividade pueril, tão profundos quanto o seu desejo irracional de gozar daquela dor.

De certo já não era mais uma menina, mas a menina ainda lembrava da madeira. Ainda se via como uma madeira, mas agora protegida. Havia decidido não permitir que enfiassem mais pregos para depois tentarem retirar. Um professor havia dito que a faca fere mais ao sair, do que ao entrar. Isso deixou a menina pensativa, também. Não permitiria jamais que lhe enfiassem pregos, para não terem de ser retirados.

As pessoas olhavam a menina, sentada na calçada, olhando para a poça d´água. Não viam a madeira q estava na poça, esta apenas a menina podia ver, era o reflexo de suas dores, de seus anos joviais e infantis. Portanto, as pessoas não poderiam jamais compreender os sorrisos da menina, sempre largos, sempre alegres, sempre felizes, sempre contentes. As pessoas jamais compreenderiam essa armadura. Armadura que já não se mostrava tão eficaz.

A menina pode prever dois futuros para sua madeira. Depende dela arriscar e por isso ela mantém-se reclusa, olhando a poça de água, na rua.

9 comentários:

LHP disse...

Profundo...
Muito profundo...

^^

besos!
te amo e te adoro!

Anônimo disse...

¬¬
comentando de livre e espontanea pressao...
eh isso ou a casinha de cachorro, neh?

Caio disse...

Esqueci de por meu nome ali ^^

Levi disse...

hum, pq eu sempre vejo uma familiaridade nesses textos?

e pq eu tenho q postar? nao posso soh ler?

mas se eh pra comentar, eu axo q perdeu a linha depois da metade... tava melhor antes disso

oi tu q pediu preu comentar! =D

;************

JD disse...

Faltou um final - tipo a guria se matando... :P

Bjos Bek! Tá ótimo, como sempre!

;********

Ráy disse...

A paixão é como uma rosa vistosa e cheirosa, porém cheia de espinhos.
Mas de que vale a vida se não se arriscar pegar a rosa e sentir seu perfume? Mesmo tendo o risco de se ferir?

Te amo Mom's!

Castello Bianco disse...

Vou ganhar minha aposta e você talvez tenha jeito de cedro furado mesmo...

=******

Anônimo disse...

Não tema os pregos da vida. Com eles você cresce e amadurece. Enfrente os pregos que surgirem em sua vida, derrote-os e você será GRANDE!
bEIJOS.

Anônimo disse...

Foi a mamãe, esse de cima.

Histórico


as primeiras ideias...